quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Quanto mais sei do Mundo e das Pessoas...mais me desanimo (2)

Dedicado aos "Reclamantes de Plantão"... "Leandro faz um lindo texto, Gilberto assim o acha e posta em uma destas LISTAS super concorridas na NET...aí vem um Francisco, um "Reclamante" para dar o ar da graça. Concordemos que nós humanos somos "replicantes" (e implicantes) por natureza, mas em certos assuntos, não dá para buscar criar polêmicas, pois "quebra o clima"... E em minha opinião, o "encantamento" que se criou (e sentiu) em virtude da escolha do Rio para as Olimpíadas, ah gente...como diz uma música antiga e que eu adoro...DEIXA ASSIM... Para que "macular" este clima? Para que "enchovalhar" este momento único, gostoso e com o qual, o Brasileiro não está acostumado á lidar? Um momento em que ele admira a Pátria, em que se orgulha de ser Brasileiro...pela Pátria e não por um jogo de bola? De: Mara Data: 06/10/2009 12:00:37 Assunto:O Rio deve essa a Lula [2] Agradeço ao Sr.Gilberto, pela oportunidade de ter acesso ao BELO TEXTO que recebi e que já retransmiti para minha lista... Creio que sempre existe ESPAÇO para manifestar algo de bom, para manifestar emoção, orgulho, apreço e desta forma, espero que os moderadores desta lista e das demais, assim também pensem... Pois existem TEMAS, que estão acima, do FOCO principal de cada LISTA e que são de interesse coletivo... A admiração ATUAL dos Brasileiros pelo Presidente LULA é SINCERA e atinge a uma maioria que classifico de "NORMAIS" Pois não há espaço para "partidarismos" ou visões e opiniões PESSOAIS sobre o desempenho do Presidente desta Nação, em ocasião da escolha do Rio de Janeiro, para sediar as Olimpíadas... Se as outras Nações e seus "nascidos" APLAUDEM o Presidente LULA, por que não fazê-lo seus compatriotas? Por que existe lugar para OFENSAS, para RECLAMAÇÕES sobre o Governo e não para ler de forma INÉDITA, ELOGIOS (SEM IRONIAS e "chacotas"...) ao Presidente do Brasil??? Um País que não se orgulha de seu Líder...NÃO É NADA! Brasileiros que só se lamentam ("reclamantes de plantão") e não sabem / conseguem perceber um momento tão especial, ÚNICO, quanto este... Em que os brasileiros RETOMAM seu patriotismo através de um HOMEM, de seu líder, de seu PRESIDENTE e não mais restringem este tipo de manifestação, através de uma competição mundial de Futebol...só pode ser um "tolo"... Assim sendo, deixemos os "tolos" de lado e ovacionemos SEM RESERVAS, o Presidente desta Nação e o MARCO que ele proporcionou DIRETA ou INDIRETAMENTE á nossa História... Quem sobrepõe outros aspectos sobre o ocorrido e sobre o assunto, senão com a PURA VISÃO de um PATRIOTA, de um Brasileiro...não deve ser levado á sério... Sr.Gilberto, não lhe conheço, mas lhe agradeço mais uma vez pela oportunidade de ler este belo texto! Att, Mara -------Mensagem original------- De: franciscodourado Data: 06/10/2009 11:40:59 Assunto:O Rio deve essa a Lula Carissimo, Acho que esta lista foi formada para debatermos assuntos de interesse de nosso bairro/regiao. Nao gostaria de ver nela propaganda politica, ainda mais de um cidado que nao respeita ou admira a instrucao e a educacao e que ja declarou publicamente que o Nordeste e o Rio sao lugares para pegar sol nas ferias e que lugar para se fazer negocio e investir eh Sao Paulo. Nos poupe desse tipo de comentario nesta lista de discussao. Atenciosamente, Francisco Dourado ----- Mensagem Original ----- De: Gilberto (CEPEL) Enviada: terça-feira, 6 de Outubro de 2009 10:15 Assunto:O Rio deve essa a Lula Texto postado em http://brasiliaeuvi.wordpress.com/2009/10/02/o-rio-deve-essa-a-lula/ O Rio deve essa a Lula Leandro Fortes

FIO CONDUTOR...(para o Patriotismo...)

De: Mara Data: 06/10/2009 11:40:44 Assunto: Um belo texto, assim o é...quando escrito com sentimento... Em resposta a "O Rio deve essa a Lula" Registro abaixo, o e-mail de LEANDRO FORTES (O RIO DEVE ESSA A LULA), por acha-lo "tocante" e por concordar PLENAMENTE com a opinião e palavras do autor Hoje, posso dizer que não me envergonho ou me arrependo pelo voto que dei ao Presidente Luís Inácio... Hoje, tenho orgulho do Presidente de meu País, sentimento que não acalento há VÁRIOS ANOS... Hoje, tenho mais orgulho de ser brasileira de nascimento...e de coração... Hoje, me orgulho da Cidade onde vivo e que foi mostrada e apresentada AO MUNDO, retratando um porção de um Brasil, que desde 1930, não se desnuda perante os habitantes deste belo Planeta Azul. Hoje, o nosso Brasil, se faz IMPONENTE e ORGULHOSO sob o olhar mundial. Hoje, cada um de nós derrama sem constrangimentos ou tristezas, lágrimas por esse nosso Brasil... Lágrimas de Emoção...Lágrimas de PATRIOTAS, que há tempos, esquecemos o que significava SER ou SENTIR... Esse Brasil "tão brasileiro" que o nosso Presidente...o LULA, tão bem retratou e revelou em seus gestos e palavras...é o BRASIL que amamos, que queremos para nós, nossos filhos e netos... Um Brasil AMADO, um Brasil QUERIDO, um Brasil...do qual nos orgulhamos... Esse Brasileiro (assim mesmo, com B maiúsculo) me emocionou, me arrancou as mesmas lágrimas que rolaram em meu rosto, ao vê-lo desfilar sob o aplauso esperançoso e emocionado de um Povo, que ovacionava seu novo líder, quase o esperado "Herói" que cada Nação deseja para comanda-la... Mesmo sem BRAVOS atos heróicos, vistos em guerras e conflitos, tão presentes em outros Países, o nosso Presidente LULA, marcou a sua passagem não só na vida dos Brasileiros, mas na lembrança das outras respeitáveis Nações... Provou, no Mundo DURO, ÁSPERO e CRUEL que hoje vivemos, que o SIMPLES, que a EMOÇÃO, ainda tem o seu lugar, a sua FORÇA! Hoje eu tenho RESPEITO pelo Presidente de meu País... Mas não o respeito obrigatório da Cidadã ao Alto Mandatário desta Nação, mas sim, o RESPEITO pelo Homem, por esse Brasileiro do qual aprendi a me orgulhar... "Ave LULA!" Mara Uma brasileira... Data: 06/10/2009 10:16:04 Texto postado em http://brasiliaeuvi.wordpress.com/2009/10/02/o-rio-deve-essa-a-lula/ O Rio deve essa a Lula Leandro Fortes Lula poderia ter agido, como muitos de seus pares na política agiriam, com rancor e desprezo pelo Rio de Janeiro, seus políticos, sua mídia, todos alegremente colocados como caixa de ressonância dos piores e mais mesquinhos interesses oriundos de um claro ódio de classe, embora mal disfarçados de oposição política. Lula poderia ter destilado fel e ter feito corpo mole contra o Rio de Janeiro, em reação, demasiada humana, à vaia que recebeu – estranha vaia, puxada por uma tropa de canalhas, reverberada em efeito manada – na abertura dos jogos panamericanos, em 2007, talvez o maior e mais bem definido ato de incivilidade de uma cidade perdida em décadas de decadência. Vaiou-se Lula, aplaudiu-se César Maia, o que basta como termo de entendimento sobre os rumos da política que se faz e se admira na antiga capital da República. Fosse um homem público qualquer, Lula faria o que mais desejavam seus adversários: deixaria o Rio à própria sorte, esmagado por uma classe política claudicante e tristemente medíocre, presa a um passado de cidade maravilhosa que só existe, nos dias de hoje, nas novelas da TV Globo ambientadas nas oníricas ruas do Leblon. Lula poderia ter agido burocraticamente a favor do Rio, cumprido um papel formal de chefe de Estado, falado a favor da candidatura do Rio apenas porque não lhe caberia falar mal. Deixado a cidade ao gosto de seus notórios representantes da Zona Sul, esses seres apavorados que avançam sinais vermelhos para fugir da rotina de assaltos e sobressaltos sociais para, na segurança das grades de prédios e condomínios, maldizer a existência do Bolsa Família e do MST, antros simbólicos de pretos e pobres culpados, em primeira e última análise, do estado de coisas que tanto os aflige. Lula poderia ter feito do rancor um ato político, e não seria novidade, para dar uma lição a uma cidade que o expôs e ao país a um vexame internacional pensado e executado com extrema crueldade por seus piores e mais despreparados opositores. Mas Lula não fez nada disso. No discurso anterior à escolha do Comitê Olímpico Internacional, já visivelmente emocionado, Lula fez o que se esperava de um estadista: fez do Rio o Brasil todo, o porto belo e seguro de todos os brasileiros, a alma da nacionalidade. Foi um ato de generosidade política inesquecível e uma lição de patriotismo real com o qual, finalmente, podemos nos perfilar sem a mácula do adesismo partidário ou do fervor imbecil das patriotadas. Lula, esse mesmo Lula que setores da imprensa brasileira insistem em classificar de títere do poder chavista em Honduras, outra vez passou por cima da guerrilha editorial e da inveja pura e simples de seus adversários. Falou, como em seus melhores momentos, direto aos corações, sem concessões de linguagem e estilo, franco e direto, como líder não só da nação, mas do continente, que hoje o saúda e, certamente, o aplaude de pé. Em 2016, o cidadão Luiz Inácio da Silva terá 71 anos. Que os cariocas desse futuro tão próximo consigam ser generosos o bastante para também aplaudi-lo na abertura das Olimpíadas do Rio, da qual, só posso imaginar, ele será convidado especial.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Quanto mais sei do Mundo, das Pessoas...mas me desanimo...( I )

A DEMOCRACIA É A SALVAÇÃO! Será mesmo??? DEMOCRACIA – Instituições e Costumes A boa prática da democracia depende de duas condições: das instituições e dos costumes. Onde as instituições são adequadas e os costumes saudáveis, está assegurada a democracia. Onde as instituições forem defeituosas, os costumes poderão corrigi-los e, aí, desenvolver-se-á uma consciência democrática que corrige essas instituições a partir da prática dos bons costumes. Onde os costumes são maus, doentes ou disfuncionais eles poderão ser modificados, alterados e melhorados graças ao funcionamento de instituições adequadas, convenientes, capazes de corrigir e de educar. As instituições têm um efeito pedagógico, didático, educacional sobre os costumes. Lembro os exemplos da Itália e da Espanha: costumes autoritários, culturas despóticas, mas a utilização de instituições adequadas modulou comportamentos, práticas e costumes democráticos naqueles países. Com nenhumas dessas condições, nem instituições nem costumes, nós contamos efetivamente aqui no Brasil. O que temos é a “cordial” cultura autoritária brasileira. Os nossos costumes autoritários se reforçam através de instituições defeituosas, equivocadas. Costumes que jamais foram democráticos. Forjados por uma tradição da “Casa Grande e Senzala”, do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, costumes centrados efetivamente no autoritarismo. Costumes que se perverteram e se pervertem continuamente com as ditaduras, com os maus governos, com as lideranças corruptas e as inadequações comportamentais que cada vez mais estimulam que elites descomprometidas façam que instituições também corrompidas estabeleçam as condições em que hoje o País se encontra. As instituições democráticas são desmoralizadas sistematicamente: golpes de Estado, constituições que não são cumpridas, leis que não são para pegar, poderes Legislativo e Judiciário desrespeitados permanentemente por um Executivo imperial, invasão de um poder sobre as competências do outro, impunidade e corrupção generalizadas. Estamos pobres, despidos, inteiramente nus para o exercício da democracia. Estamos como um falido depois do desastre total, da falência absolutamente consolidada, que se dispõe a fazer vida nova por meio de declarações vazias de sentido. Todos falando em democracia, exaltando a transparência e a austeridade, a necessidade de transformação e de modernidade – palavras da moda – , mas como um falido, palavras ocas e vazias, sem sentido. Por onde haveremos então de começar para renovar este quadro de carências democráticas? Se temos esses costumes e instituições, certamente haveremos de começar pela reforma das instituições, porque elas dependem apenas de atos de vontade das lideranças políticas e do próprio povo. Como começar senão instituindo um mecanismo de democracia efetiva em vez de um mecanismo de autoritarismo, um mecanismo capaz de engendrar por intermédio de seu funcionamento novos e melhores rumos, saudáveis e democratizantes, que possibilitem que instituições forjadas pela inteligência, e costumes, aprimorados pela educação, mutuamente reformem-se e reafirmem-se. É preciso refletir sobre a fragilidade de nossa democracia. E o que é democracia senão o governo do povo, pelo povo e para o povo. Sustentam os falsos democratas que tal definição não passa de uma ficção, pois não corresponde a uma realidade objetiva e concreta. E assim tentam reduzir a democracia a uma burla, burlando o povo, encontrando justificativas para suas incursões autoritárias. Democracia não é governo de um homem, ditador ou monarca. Democracia também não é governo de um grupo, seja este uma classe ou uma casta. Democracia só pode ser governo do povo e de todos nós, pois este é realmente quem rege, embora faça indiretamente por meio de delegados, por meio de representantes livremente escolhidos através do voto. Esta é a essência do que seja democracia representativa. A primeira condição do que seja democracia, portanto, é a eleição popular, a escolha dos governantes e dos representantes. Não basta, porém, a eleição para caracterizar a democracia. A democracia não se esgota na eleição, pois se assim fosse um monarca eleito, consolidando uma monarquia absolutista, também caracterizaria a democracia. É triste a conclusão: não há uma verdadeira democracia em nosso País. . Se quisermos “regenerar” os costumes políticos do País, se quisermos a boa prática da democracia, se quisermos uma nova cultura política, há, em primeiro lugar, que se reformar as instituições que nos governam. Mas nos falta consciência dessa necessidade premente, improrrogável e fundamental para construir um novo Estado comprometido com a sociedade cidadã. Texto de Wagner Siqueira

segunda-feira, 6 de julho de 2009

TERRA, NOSSO ÚNICO E VERDADEIRO LAR!

Lembre-se que se este LAR for destruído, não temos para onde mudar!

Um Oceano de plástico

Durabilidade, estabilidade e resistência à desintegração. As propriedades que fazem do plástico um dos produtos com maiores aplicações e utilidades ao consumidor final, também o tornam um dos maiores vilões ambientais. São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e cerca de 10% deste total acabam nos oceanos, sendo que 80% desta fração vem de terra firme.

No oceano Pácífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros . Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos. Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico.

Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.

O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.

A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental. Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. 'Como foi possível fazermos isso?' -

'Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo'. Pesquisadores alertam para o fato de que toda peça plástica que foi manufaturada desde que descobrimos este material, e que não foram recicladas, ainda estão em algum lugar.. E ainda há o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer, em algumas áreas do oceano pacifico podem se encontrar uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha

Segundo PNUMA, o programa das Nações Unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinhas todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes.

E para piorar essa sopa plástica pode funcionar como uma esponja, que concentraria todo tipo de poluentes persistentes, ou seja, qualquer animal que se alimentar nestas regiões estará ingerindo altos índices de venenos, que podem ser introduzidos, através da pesca, na cadeia alimentar humana, fechando-se o ciclo, na mais pura verdade de que o que fazemos à terra retorna à nós, seres humanos.

Fontes: The Independent, Greenpeace e Mindfully

Ver essas coisas sempre servem para que nós repensemos nossos valores e pricipalmente nosso papel frente ao meio ambiente, ou o ambiente em que vivemos. Antes de Reciclar, reduza!

'BlogBlogs'

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Sentimento Mutante
Sentimento mutante
Que muda de instante a instante Instante de rir e de chorar Instante para confiar e desconfiar
Instante para falar e para calar Instante para contar e para guardar Instante para escolher a quem amar Instante para escolher a quem odiar
Instante para em contenda entrar Instante para decidir-se á escapar Pena que tudo mude a todo instante E não se leve a vida sempre seguro e á diante
Que pena tua confiança estar distante E termos uma segurança tão hesitante
A vida não pára um intante
Amparada que estás em um sentimento mutante
BlogBlogs.Com.Br
Fitando um Olhar...
Naquele olhar desfila a experiência de toda uma existência... Naquele olhar se vê o que o indivíduo que o ostenta crê. Nas vias de pele que traçam o rosto
Estão as marcas do tempo e se mostram com gosto.
Feliz daquele que completa 7 décadas, sejam estas ou não em Agôsto. Naquele olhar se vê alegria e tristeza, de quem tem muitas certezas... Certeza de quem já viveu e a certeza de sua partida. Certeza das dores e da vida vivida.
Certeza dos amores que teve e daqueles que deixou a vida afastar. Certeza de tudo que realizou e dos sonhos que se permitiu matar. Mas diante deste olhar, não há mais nada o que falar. Só contemplar e rezar para um dia neste estágio chegar...
Devaneio...
Se mostre, Desnuda tua alma e teu corpo Me deixe ver em verdade o teu rosto Me recorda tua marca e teu gosto...
Ou então...liberta-me!
Tira-me deste sonho e ilusão fantasiosa Que me mantém presa e ansiosa
Esperando sôfrega atender teus desejos
E tua vontade imperiosa...
Ah, doce ilusão que me assombra
Dias e noites tecem o passar das eras Sem força ou vontade, perante ti sou uma sombra
Eu sou tua, como sempre quiseras..
Mesmo cruel
Mostre-me que quem era meu partiu...
E mesmo que a dor me arda como fel
Prefiro a verdade e saber que me feriu
Talvez ainda assim
Eu me mantenha presa a esta ilusão ou...
Lhe agradecerei por matá-la enfim...
Dê-me as últimas palavras de despedida que lhe sobrou...
Então...mostre-se, se desnude perante mim, de corpo e alma
Não minta mais
Pois mesmo que através da verdade me libertes e me dê calma..
Não te esquecerei jamais...

POESIA...Uma Carícia da Mente para a Alma...

A CANÇÃO DE THAÍS
Quanto mais tento me livrar deste sentimento Mais ele envolve meu corpo, qual o vento Libertar-me á tempo...é meu intento Mas libertar-me, me trará algum alento?
O tempo para mim passa pesado e lento Enquanto você...não me sai do pensamento... Que loucura sufocar um sentimento Mas o que fazer, se para mim ele é só tormento?
Como embala-lo em meu peito com ternura um só momento? Se o que ele me traz..é agonia e desalento? E me parece que quanto mais eu tento O sentimento é mais forte e deixa minha força ao relento...
Por que meu coração não ficou atento? Por que não me protegeu e m deu acalento?
Por que diante de tru louco amor se entregou e disse: Eu me rendo ?

Poesia, liberta a alma das amarras feitas por nós

IRA, ENTRE RIMAS E CISMAS
Me assusta a tua IRA IRA que me abala e que medo exala
IRA que não entendo o por que IRA que me tira você
IRA que te afasta de mim IRA que tanto mal faz assim IRA que te sustenta em razão IRA que me rasga o coração
IRA que veio sem aviso IRA que mais parece um improviso Improviso maldoso e tendencioso De um clamor de liberdade ansioso
Ficas perante meu receio impiedoso...
Tranformou-se este amor em algo odioso?
Que fiz para tal IRA despertar? Não sei o que pensar...
E só o que faço é chorar... Não é da IRA que tenho receio Mas do medo de perde-lo que esmaga o meu seio
Desta IRA com a qual me açoitas, sem freio Palavras duras ecoam no ar E soam cruéis...uma após outra...sem parar... Junto a elas, minha vontade é gritar
E toda a tua IRA, poder abafar...
Quero gritar contra tuas injúrias
Enquanto te lembro nossas juras Juras de Amor, bem sabes que não Pois nunca me deste o teu coração...
Lembrar-te porém, das Juras de Desejo
Este sim, forte e intenso... O qual me prometeste em momento de tensão
De uma insana vontade, refém desta emoção Prometeste me possuir até minha vida tirar Prometeste com IRA minha boca beijar Prometeste minh'alma fazer flutuar Tamanha a força com a qual irias me amar
Prometeste marcas em minha carne deixar Quando nossos corpos fossem enfim, se encontrar...
Prometeste todos os meus sentidos incendiar
Quando meu desejo fosses saciar... E agora pela IRA te deixas tomar? Não sei ao certo o que mais posso pensar Teria um certo alguém enfim a te envenenar? A dizer-te coisas contra mim e tua Ira despertar?
Se assim é...é de se esperar... Pois um desejo tão frágil, não iria suportar
Uma língua maledicente em teus ouvidos a deslizar Com estudadas maldades á te sussurrar, fazendo do meu desejo tu duvidar.. E nesta CISMA não devias acreditar... Pois de todas mulheres que por tua vida hão de passar Ninguém a alma a ti, vai entregar...
Numa quente madrugada como ficamos á combinar...
Então...repensa esta tua Ira indecente Volta...e não me negues o que sente...
Vem cumprir yua promessa quente
De me envolver com teu desejo insano e intermitente..